CHANTE FRANCE

Ocorreu um erro neste gadget
OBRIGADO PELA VISITA

O TEMPO CONTEM A TERNIDADE

CADA DIA NOVA VIDA

Calendario

O Tempo nos conduz a Deus

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

PERMANECER NA INTEGRIDADE É A MAIOR E MELHOR PROVA DE NOSSO AMOR A DEUS.

Dia 27 de Setembro 2010
2ª Feira
26ª SEMANA DO TEMPO COMUM
Jó1,6-22


Durante esta semana a primeira Leitura nos oferece o Livro de Jó. É um dos Cinco Sapienciais. Faz parte do Pentateuco Sapiencial da Sagrada Escritura, no Antigo Testamento.

Hoje se lê um trecho do Prólogo. Jó é uma Figura Emblemática.

Quando tudo nos vai muito bem neste mundo; quando viajamos tranquilamente; quando o nosso Céu está sereno e não há nenhuma tempestade no nosso Mar Existencial, é fácil Servir a Deus. Mas é fácil também iludir-se. Porque, muitas vezes, na verdade,se está  servindo-se de Deus.

É terrível, uma verdadeira provação, como aqui o Prólogo nos narra a respeito de Jó. Mesmo após esta Provação, Permanecer na Integridade é sinal de total adesão à Vontade de Deus.

As Palavras de Jó são verdadeiramente admiráveis: eu entrei para este mundo nu e daqui sairei também nu. O Senhor deu, o Senhor tirou, seja feita a Vontade de Deus. Esta expressão contem  verdadeira Adoração desinteressada de Deus.

No auge da provação Aquele que sabe que nada é diante de Deus; Aquele que se define de si mesmo: Aquele que não é perante a Grandeza infinita  d ‘Aquele que É, se entrega totalmente ao Mistério de Deus, que, de resto, manda para os ares e vai muito além de toda a nossa capacidade intelectual.

Efetivamente, a prova e, sobretudo, a prova dolorosa que acontece na nossa existência é a maneira de se distinguir o verdadeiro Servidor de Deus do falso, aparente servidor de Deus. O verdadeiro é bem menos numeroso do que os falsos e aparentes.

O Verdadeiro permanece radicado em Deus, mesmo no coração de suas noites mais escuras; mesmo quando ele não percebe nada e não enxerga coisa alguma pela sua frente. Nestas horas, a única Consolação que nos resta é  segurarmos fortemente a Mão de Cristo, pregada na Cruz e, juntamente com Cristo, dirigirmos ao Pai a Oração inicial do Salmo 22: Meu Deus, Meu Deus, porque me abandonaste ? Porque me abandonas ?

Mas, mesmo assim eu confesso, neste momento de absoluta provação que dependo totalmente do vosso Beneplácito. Seja feita a Vossa Vontade, terra, em mim, como no Céu.

É para esta meta que nos endereça o Início do Livro de Jó.(*)



Padre Fernando C.Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário