CHANTE FRANCE

Ocorreu um erro neste gadget
OBRIGADO PELA VISITA

O TEMPO CONTEM A TERNIDADE

CADA DIA NOVA VIDA

Calendario

O Tempo nos conduz a Deus

terça-feira, 27 de julho de 2010

DEUS ESPERA TOCAR CORAÇÕES ENDURECIDOS


TERÇA FEIRA
17ª SEMANA DO TEMPO COMUM
Jm.14,17-22

Jeremias, às vésperas da destruição de Jerusalém, no verão de 587 a.C., perguntava a si mesmo se haveria um homem de bem a percorrer as ruas daquela Cidade.
 Recordamos que, outrora, no Livro do Gênesis, Abrão pôs-se a negociar com Deus a respeito da sorte de Sodoma e de Gomorra. Se na Cidade houver cinqüenta justos não a perdoarás? A resposta de Deus é pronta: “Por causa dos cinqüenta justos Eu a perdoarei e pouparei”. Abraão desce até dez. E se nela houver apenas dez justos? A reposta de Deus é sempre a mesma: “Por amor aos dez justos eventualmente no seu interior Eu a pouparei”.

Jeremias duvidava que houvesse um único homem de bem na Cidade de Jerusalém. Pode um leopardo desfazer-se das cores de que se acha revestido? Absolutamente não. E como vós podereis praticar o bem impregnados que estais de maldades? O que se pode fazer, então?

Jeremias, sem rodeios e sem meias palavras, responde: “Entoar desde já antecipadamente um canto fúnebre, porque tudo que aqui está será inexoravelmente destruído; se Deus realizar ainda alguma coisa com este povo, será a partir das cinzas, dos escombros de sua própria ruína.

Deus é um caso a ser levado a sério, Ele trata-nos com seriedade; não brinca com nenhum de nós, pois faz parte da essência do Amor não brincar com quem quer que seja. Ele chama-nos, respeitando nossa liberdade, apesar de podermos observar que em nosso interior, em miniatura, existe a miséria que Jeremias deplorava diante de Jerusalém às vésperas da sua destruição.

Se não estamos muito certos da amizade de Deus; se, pelo contrário, estamos conscientes de uma Vida cristã medíocre, vivida na desgraça, levemos a sério a Sua Palavra: ainda hoje, através de Jeremias, Ele deseja tocar Corações empedernidos.

Ainda há tempo, mas não sabemos quanto este tempo durará.(*)

c / f  Padre Fernando C. Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário