CHANTE FRANCE

Ocorreu um erro neste gadget
OBRIGADO PELA VISITA

O TEMPO CONTEM A TERNIDADE

CADA DIA NOVA VIDA

Calendario

O Tempo nos conduz a Deus

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

DEIXEMOS A DEUS A ÚLTIMA PALAVRA


Sexta Feira
1ª Semana Tempo Comum
Mt.7,7-12

“Pedi e recebereis, batei e a porta vos será aberta”. Eis um Evangelho consolador.

As afirmações são colocadas nos próprios lábios de Jesus. Tendo estas afirmações nos meus lábios, eu normalmente falo o seguinte aos peregrinos que levo a Terra Santa, diante da Basílica da Agonia, onde se faz Memória da agonia de Jesus no Horto das Oliveiras: Aquele que disse, “Pedi e recebereis, batei e a porta vos será aberta”, quando no jardim e no horto, angustiado, pediu: “Pai, afasta de Mim este cálice”. O cálice não Lhe foi afastado. Pediu e não recebeu, mas acrescentou: “Não a minha, mas a Tua vontade seja feita”.

No final da Oração a Vontade humana de Jesus se conformava com a Vontade do Pai e aceitava o Cálice da Paixão, que Ele percebeu não lhe seria tirado.

Jesus pediu num momento primeiro que isto lhe fosse retirado das vistas e das mãos. Soube ler no Silêncio de Deus, que esta Oração assim, não seria atendida. E então, acrescentou o que já disse: “Não a Minha mais a Tua vontade seja feita”.

Existiam algumas maneiras de se livrar da Morte, ou ser dela poupado - o que Jesus não foi - ou ressuscitando para trás - o que aconteceu com Lazaro, com o filho da viúva de Naim, mas não com Ele - ou então Ressuscitando para frente, depois de atravessar o próprio Mistério da Morte.

Padre Fernando C. Cardoso

Esta foi a Graça que Jesus recebeu. Aos peregrinos que eu levo a Terra Santa, diretamente da Basílica da Agonia, eu digo sempre: peçam, mas com uma mão apresentem a Deus as Orações, as súplicas e os pedidos, mas não levantem a outra mão apresentando a Deus também a solução. Basta o pedido, deixemos a solução que venha de Deus, da forma como Ele quiser, da maneira como quiser e quando Ele quiser também. Porque quem reza sente a sua pobreza total. Ele não é Senhor de si, não é Senhor de seu tempo e não possui nas mãos o que suplica a Deus. O deixa livre para escolher a maneira como deseja intervir na nossa Vida.

No caso de Jesus, sabemos o Cálice não lhe foi retirado. Jesus passou pela Morte e saiu Vencedor para nunca mais Morrer e tendo agora as chaves dos hades e do abismo dos Mortos nas próprias mãos.

Deixemos sempre a última Palavra a Deus e não antecipemos a solução que pode não ser sua. (*)

c / f Padre Fenando C. Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário